O transtorno bipolar através da história

Transtorno bipolar

Ultimamente fala-se muito a respeito deste Transtorno que afeta de 5 a 7% da população e que de forma equivocada estaria associado à criatividade, mas na realidade causa muitos prejuí­zos e grandes sofrimentos para os portadores e seus familiares. Existem até pessoas que falam que é uma epidemia contemporânea, porém o que desconhecem é que na realidade existem registros históricos que sugerem o conhecimento de seus sintomas e até que eram estudados na antiguidade.

O professor da Faculdade de Educação da USP Jean Lauand, que é especialista em pensamento medieval, encontrou algumas referências que sugerem um pensamento e comportamento de um portador de transtorno bipolar, em alguns textos de S. Tomás de Aquino (1227-1274)AQUI.

De acordo com o Psiquiatra da Faculdade de Medicina da USP, Ricardo Alberto Moreno:

“Existem descrições de estados mistos, como os conhecemos hoje, desde a época dos antigos gregos, mas foi Kraepelin (1976), auxiliado por seu aluno Weygandt (apud Marneros, 2001), que desenvolveu e detalhou o conceito. Kraepelin os classificou em seis tipos, três de acordo com uma combinação dos três sintomas fundamentais da mania (fuga de ideias, euforia e hiperatividade) com os depressivos e três baseavam-se nos sintomas fundamentais da depressão (inibição do pensamento, humor depressivo e abulia) associados aos sintomas maníacos (Marneros, 2001):

Descrições

1. Mania depressiva ou ansiosa (depressive oderängstliche Manie);

2. Depressão agitada ou excitada (erregte Depression);

3. Mania com pobreza de pensamentos (ideenarme Manie);

4. Estupor maníaco (manischer Stupor);

5. Depressão com fuga de idéias (ideenflüchtige Depression);

6. Mania inibida (gehemmte manie).

Como podemos ver, parece estar bem longe de uma “epidemia contemporânea”.

Até a segunda década do século XX o Transtorno era denominado como Psicose Maníaco Depressiva (PMD), este nome foi abandonado porque alguns pesquisadores verificaram que nem todos os portadores apresentam sintomas psicóticos, além do rótulo “psicótico” fazer com que muitos portadores não aceitassem seu diagnóstico, visto que a sociedade nunca viu com bons olhos quem sofre de transtornos mentais.

Neste artigo eu fiz um pequeno histórico do TBH que acho fundamental para que os leitores entendam que não existe este conceito de “doença da moda”. Ele existe há muito tempo e somente agora é que está sendo visto corretamente, pois muitos Bipolares sofreram uma verdadeira Via Crucis para serem diagnosticados e levam anos tomando medicamentos errado, fazendo terapias que não dão resultado e sendo diagnosticados como portadores de vários outros tipos de transtorno.